Hoje eu só queria colo de mãe.
Não queria sentir o gosto azedo do gozo;
Queria poder voltar à ser criança de novo,
não pelas responsabilidades que antes não existiam,
mas pela atenção de mãe e pelas coisas que realmente doíam...
Uma queda de bicicleta,
uma bronca pela blusa suja de jamelão,
perder a bola que ganhou da Marinha nas águas de Paquetá...
Ah! Como doía…

Hoje, só hoje,
eu queria café com leite, açúcar e carinhoque só ela sabe fazer.
Hoje queria me irritar com ela, porque mãe sempre se preocupa muito com a gente
e acaba se metendo onde não deve, mas é por carinho, por amor.
Hoje, queria poder sentir o cheirinho bom que ela tem
e ficar deitada no seu colo vendo bobagens que ela adora ver na tevê...
Hoje eu queria,
mas não só hoje,
escutar a música favorita dela e ouvi-lá tentar cantarolar com uma voz falha e rouca,
e faz tanto tempo que ela se perde entre as letras.
Ver fotografias do passado
e escutar ela contar pela ‘enésima’ vez a mesma história,
porém dessa vez não vou reclamar... 

Queria que ela perguntasse o que quero pro almoço
E mesmo sem saber fazer direito, fazê-lo com carinho.
Chegar de manhã em casa
e ela ainda estar acordada, esperando, preocupada,
e pôr a culpa no infarto do miocárdio,
fazer beiço, fazer bico, bater o pé feito criança,
briga, reclama
e na hora que peço desculpas, diz que não adianta
que amanhã farei novamente. 

Me manda ir embora, mas quando longe,
por um fio diz que me ama, e que sente saudade….

Vai entender mãe!








Comentários
* O e-mail não será publicado no site.