A série Azul - da cor dos seus olhos verdes é composto por dois grupos de fotos; A primeira parte da série trás um pouco sobre a viagem de ir pro Sul, tanto pelo ar, quanto por terra, ir só e encontrar alguém, e ir juntos. E o segundo grupo de fotos é uma panorâmica de 360 graus, composta por 13 fotografias, que é um giro em torno de mim mesma, olhando ao redor, e só aparece uma pessoa na foto.

Essa imagem panorâmica foi montada numa imagem só de 3mx0,50m, durante a exposição Azul no X Olinda Arte em Toda Parte, em 2010, em Olinda/PE. 

Esse é o primeiro texto que falo sobre essa série, e também a primeira série que realizei.  E é Interessante pensar sobre isso, e revisar esse lugar, porque quando olho pra trás e penso como ela começou, é ao mesmo tempo, olhar pro começo da minha jornada.

O ano era 2010, e tinha recém concluído meu curso de Fotografia em Caxias do Sul/RS, e também.o tempo de morar no Sul, e voltei pra Olinda/PE, e o meu quentinho. Embora esse fosse o plano, não foi fácil porque nos anos que vivi lá, cultivei diversas relações e algumas não queria que a geografia fosse o impedimento. E mesmo voltando pra Olinda resolvemos manter as coisas à distância. Nos visitamos algumas vezes durante o ano, mas percebemos que queríamos a presença de fato, e em uma dessas visitas, acabamos indo pra outro estado - Santa Catarina, que poderíamos dizer que era um lugar neutro, pra pensarmos quem iria mudar pra onde. Depois de um tempo decidimos, ele iria mudar pra Olinda.

Eu não havia imaginado em usar as fotos que havia feito numa série, exposição ou contar minha história pessoal por meio de imagens, foi a primeira vez que expus não só um trabalho autoral, mas de cunho pessoal, afetivo, e que sempre revisito, as vezes removo alguma imagem, adiciono outra, mudo a sequencia narrativa... é um trabalho que acredito que se move com o tempo.

Esse nome chegou quando resolvi me inscrever no Olinda Arte em Toda Parte, e o trabalho ainda não tinha um nome. Na hora fiquei nervosa pensando que nome poderia dar, e o primeiro que veio foi Azul. Depois de um tempo, quando construí a narrativa, percebi que fazia mais sentindo ter um complemento, porque a série não era sobre o Azul somente como cor do céu e do mar, presente nas imagens, era porque a cor dos olhos da pessoa amada mudavam de cor pela hora do dia, pelo tempo ou pelo clima, assim como o mar.


Então pra mim, Azul fala sobre caminhos e sobre amor.


Para ver a série: AZUL DA COR DOS SEUS OLHOS VERDES




PARA VER MAIS: AZUL DA COR DOS SEUS OLHOS VERDES





Comentários
* O e-mail não será publicado no site.